segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Não sei, mas às vezes me pego procurando defeitos nele... Confesso que faço isso pra tentar me conformar. Ele? É charmoso, inteligente, criativo, bonito, estiloso, ele me faz rir e é gentil.  E quando a gente conversa, o mundo todo silencia, não importa quão mal o  meu dia tenha sido, ou quão triste o mundo esteja: de repente tudo, tudo mesmo, fica em paz. E ele é dono da barba mais charmosa do Sistema Solar (e olha que ele sabe que eu tenho uma queda por isso). E eu desconfio que ele tem o sorriso mais bonito também. Adoro o cabelo dele e aquele cheiro que só ele tem e que me leva muito além do que eu já fui. Ele é sempre tranquilo, ele me entende, ele me dá paz. Ele me faz sentir borboletas no estômago, ele, só ele me faz  fechar os olhos e suspirar, mas suspirar  tipo beeem fundo sabe, pra dar conta do que já não cabe aqui dentro... Não sei, mas algo nele me dá vontade de voar pra longe... Ele sempre diz tudo de um forma que ninguém diz, ele me faz lembrar de coisas que me deixam rindo sozinha no meio da rua. Se eu fosse viciada em metáforas diria que ele é como uma droga viciante, uma dose alta nas veias ou alguma coisa um pouco mais poética, já que provavelmente ele iria rir muito disso. Se bem que eu não me importaria: eu gosto quando ele ri das minhas loucuras. Ele também fica lindo de todo jeito.. E eu gosto de como é estar com ele. Gosto quando ele me chama carinhosamente de Isoldinha, quando ele me explica algo com aquele jeito de falar que eu amo ou simplesmente gosto de estudá-lo minuciosamente. Gosto quando ele está concentrado em algo, quando ele fuma de um jeito tão sério que parece que o mistério do mundo está no fim daquele cigarro. Gosto do jeito que ele me ouve e depois fica sério, quando ele me olha tentando achar  resposta quando eu falo alguma das minhas besteiras. Gosto de vê-lo tentando me invadir pra tentar descobrir o que se passa comigo. Gosto de saber que ele se importa...Gosto muito, muito dele. E o melhor de tudo, gosto pelos mínimos detalhes. E ele nem imagina. Só não gostei do fato de que eu sorri ao lembrar a maioria dessas coisas, afinal de contas, sei que preciso esquecê-lo.