quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Então sempre vai ter aquele momento em que eu pensarei como teria sido tudo isso, o que teríamos construído, o quanto teríamos somado e quantas coisas lindas você teria feito nascer em mim. Haverá sempre aquele momento em que eu vou me ver triste e fechar os olhos desejando profundamente que você estivesse aqui. Aquele momento em que estarei transbordando de felicidade e querer você por perto pra dividir  tudo comigo. Essa eterna curiosidade de você vai me seguir onde quer que eu vá. É como se eu pudesse sentir isso por uma vida inteira, sem nem ao menos ter te vivido, e em cada rua de meu coração, onde me perderei centenas de vezes, existirá a certeza viva de um sentimento adormecido pra me fazer lembrar que meu rio sempre desaguará em você. Ainda que eu encontre alguém que me faça chegar perto da felicidade, eu  posso construir todos os sonhos do mundo ao seu lado, ainda que quando eu abra os olhos você não esteja aqui. Eu posso sumir, eu posso te ver partir um milhão de vezes e ainda assim nada aqui dentro se perder. E de repente eu me dou conta de que ninguém nunca, nunca vai entender o que sinto nem o que se passa aqui dentro. Então eu prefiro te guardar no meu mais íntimo, onde ninguém ousará te tirar. Não esqueça nunca que eu me apaixonei por tudo que existe em você, que eu amo seu jeito  lindo e único de fazer o passado parecer tão engraçado... Só lhe peço que não me esqueça por tão pouco, nem tão pouco espere que eu lhe condene a viver preso a essa teia utópica de desejos  e sentimentos parecidos que nos tira os sono, acredito que o amor não seja tão egoísta a esse ponto. Sobretudo quando na verdade existe um mundo real ao seu redor podendo lhe dar tudo aquilo que eu não posso... Mas sabe de uma coisa? Mesmo que nós nunca fiquemos juntos, mesmo que as nossas vidas nos levem para um caminho completamente diferente, eu sempre vou te amar. Infantilmente