sexta-feira, 8 de março de 2013

Olha, por favor, não me deixa. Eu sei que a gente já nem vê direito e quando se vê mal se fala, mal se esbarra, mal se cumprimenta. Mas não me deixa de vez. Não solta a minha mão. Porque eu sou completamente perdida e com você eu pude encontrar um caminho seguro. Não me deixa, por favor. Não aperta mais a minha mão daquele jeito, não finge novamente que eu não tô ali. Não precisa me fazer sorrir como antes, não precisa me escrever, perguntar se eu tô bem ou me dizer o que eu preciso fazer comigo. Mas não me deixa sozinha. Eu tenho medo dos meus fantasmas. Mas desde que eu te conheci ele não me assustam mais, então não vai embora, não de uma vez. Mas se você realmente tiver que ir, me deixa saber ao menos que se eu olhar pro lado, por mais que as coisas estejam diferentes, me diz que se eu olhar pro lado você estará por lá.