sexta-feira, 23 de maio de 2014

Eu ainda lembro do jeito que você me olhou através da escuridão às 1:58. As palavras que você sussurrou para somente nós sabermos. Eu me lembro daquela noite de dezembro, a batida descompassada do meu coração parecendo que ia sair pela boca... e eu ainda posso sentir seus braços em volta de mim. Mas agora tudo que eu sei é que eu não sei como ser algo que você sinta falta.
Porque eu amo o seu jeito impaciente, eu amo o jeito como você fala, como você me beijou quando eu estava tentando dizer algo. Não há um dia que eu não sinta falta das suas rudes interrupções. Então eu vou ver sua vida em fotos, assim como eu costumava te ver dormir. E eu sinto você me esquecer como eu costumava sentir você respirar, e eu continuarei me perguntando como anda você. Espero que esteja bem onde você está, eu espero que o sol brilhe e que seja um lindo dia e alguma coisa te lembre que você gostaria de ter ficado.