quinta-feira, 1 de maio de 2014

Você falou gostar do meu cabelo amarelo como se ele pudesse brilhar mais do que a luz do sol de Recife aquela tarde, quando borboletas da mais linda especie voaram do meu umbigo em sua direção. Apenas meu pássaro poeta preferido, seu dom de parar a beleza ao escrever seus versos, seu jeito lindo e único de fechar os olhos quando sorri e sua tendencia em se perder pelo mundo noites a fora. E eu pude ouvi-lo cantar durante todo o verão, até acordar de repente e perceber que precisava ir. Mas quando você pensar em felicidade, espero que você pense pense na minha cabeça deitada no seu peito e no meu pulsar descompassado.
Abril foi um mês de olhos rasos d'água e coração apertado, e eu agradeci a deus por você não estar aqui pra me ver assim sem mais vontade de voar. Mas em um caderno na minha estante há uma carta que você nunca leu de 5 meses atras. É difícil não achar tudo isso um pouco triste, mas ao relembrar suas coisas, vejo que é legal acreditar que você ainda esta aqui.