domingo, 18 de abril de 2010

E é tanta confusão que eu às vezes me esqueço do tempo. Tempo que eu não sei se perdi ou que fez eu me perder de mim. Mas desde que eu percebi que as cores daqui me fazem bem, nunca mais fui a mesma... E o que parecia ser algo passageiro e pequeno, ganhou uma proporção que às vezes até me assusta. Guardar palavras em caixinhas de surpresas achando o mundo um tanto injusto sempre foi meu passatempo preferido. Mas o papel de garotinha que acreditava em contos de fadas e que quando achava que era a princesinha a fizeram achar que era o patinho feio, não me serve mais. Nunca serviu. Porque o mundo não conseguiu ser tão perfeito quanto na minha imaginação. E apesar de saber que tudo aquilo que aconteceu não foi bem o que eu sonhei pra mim, não me faz querer voltar atrás. Eu vou seguir até o fim.

domingo, 4 de abril de 2010

Uma boa dose de realiadade. Tão seca quanto um dry martini.