sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

  Talvez um dia quando eu não mais estiver, você se lembre o quanto me importei e o que senti. E que era de verdade. E que era tudo seu. Mas só perceba. Porque até você se dar conta eu já estarei bem longe. Presa no seu passado.

terça-feira, 27 de novembro de 2012

E eu não quero outro lugar pra cair. Porque trocar sonhos por planos parece mais fácil, mas o que se carrega por dentro nunca morre.

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Não sei, mas às vezes me pego procurando defeitos nele... Confesso que faço isso pra tentar me conformar. Ele? É charmoso, inteligente, criativo, bonito, estiloso, ele me faz rir e é gentil.  E quando a gente conversa, o mundo todo silencia, não importa quão mal o  meu dia tenha sido, ou quão triste o mundo esteja: de repente tudo, tudo mesmo, fica em paz. E ele é dono da barba mais charmosa do Sistema Solar (e olha que ele sabe que eu tenho uma queda por isso). E eu desconfio que ele tem o sorriso mais bonito também. Adoro o cabelo dele e aquele cheiro que só ele tem e que me leva muito além do que eu já fui. Ele é sempre tranquilo, ele me entende, ele me dá paz. Ele me faz sentir borboletas no estômago, ele, só ele me faz  fechar os olhos e suspirar, mas suspirar  tipo beeem fundo sabe, pra dar conta do que já não cabe aqui dentro... Não sei, mas algo nele me dá vontade de voar pra longe... Ele sempre diz tudo de um forma que ninguém diz, ele me faz lembrar de coisas que me deixam rindo sozinha no meio da rua. Se eu fosse viciada em metáforas diria que ele é como uma droga viciante, uma dose alta nas veias ou alguma coisa um pouco mais poética, já que provavelmente ele iria rir muito disso. Se bem que eu não me importaria: eu gosto quando ele ri das minhas loucuras. Ele também fica lindo de todo jeito.. E eu gosto de como é estar com ele. Gosto quando ele me chama carinhosamente de Isoldinha, quando ele me explica algo com aquele jeito de falar que eu amo ou simplesmente gosto de estudá-lo minuciosamente. Gosto quando ele está concentrado em algo, quando ele fuma de um jeito tão sério que parece que o mistério do mundo está no fim daquele cigarro. Gosto do jeito que ele me ouve e depois fica sério, quando ele me olha tentando achar  resposta quando eu falo alguma das minhas besteiras. Gosto de vê-lo tentando me invadir pra tentar descobrir o que se passa comigo. Gosto de saber que ele se importa...Gosto muito, muito dele. E o melhor de tudo, gosto pelos mínimos detalhes. E ele nem imagina. Só não gostei do fato de que eu sorri ao lembrar a maioria dessas coisas, afinal de contas, sei que preciso esquecê-lo.

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Acho que as vezes eu queria que existisse alguém capaz de entender cada pequena vírgula em mim, alguém que eu pudesse confiar, que me entendesse sem que eu precisasse ser muito clara. Alguém que eu soubesse que vai estar ao meu lado quando eu cair, mas que não fosse embora depois de conhecer todos os meus pontos, os mais sensíveis e sutis. Alguém que não partisse meu coração ao meio por já ter me esquecido quando eu ainda lembro e me importo todos os dias. Alguém que me fizesse perder esse medo que agora tenho de dizer que eu gosto das pessoas. E esse alguém se parece tanto com você. Acho que é por isso que as vezes espero de você mais do que você pode me dar. Acho que é por isso eu nunca te deixo em paz. Mesmo sabendo que não se pode ser assim. Porque você é diferente deles. Eu sou a menina dos textos tristes, mas você não têm ideia de quantos sorrisos eu já dei só por pensar em você. Você me encontrou tão despedaçada e é bonito de ver o jeito com que você sem perceber coloca os pedacinhos no lugar cada vez que consegue entrar em mim... ter te conhecido esse ano foi uma das melhores coisas que me aconteceram. E desde esse dia algo mudou pra mim. Então por favor, não vá embora. Eu te juro que nunca te deixarei só e que serei seu abrigo se você quiser, mas me prometa que você vai ficar e que nunca, nunca mesmo vai me deixar parecer ter me importado em vão.

domingo, 29 de julho de 2012

"Podia contar de quando você me fez sorrir pela primeira vez
sem jeito,
de repente,
você me fez sorrir assim,
e de repente fez outra vez,
e outra e outra,
e enquanto você me fazia sorrir
nascia um jardim de flores dentro de mim [..]"

quinta-feira, 26 de julho de 2012

"Porque se você não vem é como se o tempo fosse passado em branco, como se as coisas não chegassem a se cumprir porque você não soube delas."

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Se eu te pudesse fazer saber de alguma forma que tudo que eu dizia sentir era sério, era de verdade. Porque foi,  porque ainda é. Se eu te pudesse fazer entender como tá difícil carregar isso tudo, ter que sorrir ou fingir leveza quando se quer esconder as dores do mundo. Ter que engolir os dias travados na garganta como uma imensa bola de fero amargando pro dentro. De como eu ainda não entendo como, aonde, quando, nem porque te perdi. De como eu ainda me sinto só no meio da multidão. Eu sei que se eu conseguisse te fazer entender pelo menos um pouquinho do que se passa qui dentro, você ligaria pra mim e não me deixaria  mais sofrer. Porque quero acreditar que aí dentro ainda existe um pedacinho daquele menino incrível que eu conheci um dia. Ainda que perdido, mas que exista. Aquele menino que mesmo distante me fazia feliz. Porque às vezes - como agora - parece que foi tudo em vão.

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Escrevo numa noite cinzenta e fria. E aqui com os olhos pregados na tela branca, deixo que que o barulhinho da chuva ofusque as batidas descompassadas do meu coraçãozinho agora minusculo, enquanto em minha mente todo as sensações se formam em fração de segundos, atropelando as palavras que nem consigo transcrevê-las direito. Mas eu sei que tá cada vez mais difícil, cada vez mais complicado caminhar  ou pisar no chão. E que de repente fica difícil perceber em quem se pode confiar. E que alguns de repente tentam fazer de tudo pra entristecer o seu sorriso. Mas aí você lembra que precisa ser forte, que isso talvez seja um preço, e se fazer de cego diante de tudo isso acaba sendo a sua principal moeda. Aí é quando eu sinto um aperto agudo no peito, da sensação cortante de não ter mais chão pra se pisar, de não ter um Porto seguro, onde mesmo que distante, poder repousar.

quinta-feira, 28 de junho de 2012

E daí se a internet não existisse? Talvez eu gostasse de comer maçãs.

domingo, 24 de junho de 2012



E nos meus sonhos cabe tudo
Cabe um oceano
Cabe uma longa espera
Cabe um avião
Cabem três vidas inteiras...

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Quantas coisas eu guardei pra lhe dizer, quanto amor e quanta espera por você. Quantos sonhos eu guardava dentro do meu coração, invetava mil viagens sempre em sua direção. Meu assunto predileto era você, e os motivos, só agora eu posso ver. É incrível como a gente às vezes passa pelo amor sem saber que está diante do que sempre procurou... Olha meu amor, nem o tempo apagou a falta que você me faz, a saudade que você deixou ainda é demais. Nessa hora é que a gente sabe o que é solidão. Olha meu amor, uma história que jamais se esquece não acaba assim. Na verdade você é o sonho que eu guardei pra mim e é você que vai ficar pra sempre no meu coração.

-RC; Assunto Predileto

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Por favor, me empresta seu peito porque a dor já não cabe só no meu.

terça-feira, 12 de junho de 2012

Escrever é só uma espécie de curativo para as feridas que a vida às vezes provoca na alma.

sábado, 26 de maio de 2012

Eu sei que já faz alguns meses, eu sei que eu já não deveria mais lembrar tanto assim. Mas acontece que ainda não passou. E eu sigo esperando o dia em que isso vai passar totalmente. O dia em que eu poderei ouvir seu nome e não sentir frio na barriga, arrepio na espinha. Sigo o esperando o dia em que te imaginar não doa mais tanto assim... O dia em que esse amor for embora e eu reaprenda a sorrir.

domingo, 13 de maio de 2012

Talvez você nunca tenha ideia do quanto eu ainda me importo, do quanto isso significa pra mim. Talvez você não tenha ideia do quanto ainda dói respirar, do quanto tenho sentido sua falta, do quanto tá doendo isso aqui dentro. De como é acordar todos os dias e saber que eu não tenho a esperança de te encontrar por aí, de não ter o seu perfume, o timbre do seu sorriso, o seu jeito sempre doce. Por favor, não me jugue por sentir tudo isso assim, dessa forma tão intensa, eu só preciso canalizar essa angústia desse amor tão sem cabimento de alguma maneira, então não se espante se de vez em quando eu chorar essa dor antiga aqui dentro ou o tempo passar e eu ainda me sentir pela metade. Não se espante se você já me esqueceu e eu ainda lembrar de você todos os dias, como o sol que nunca deixa de nascer. De como eu passei  a amar ainda mais uma terra estranha pelo fato de sua existência. De como as lágrimas já não me obedecem ao escrever meus textos tão carregados de você. De como os dias cinzas ficaram mais longos e tristes. De como a sombra de sua lembrança me acompanha aonde quer que eu vá. Talvez eu não devesse dar tanta enfase a tudo isso, talvez eu devesse pensar um pouquinho mais em mim, ser egoísta pra ser feliz. Mas dizem que nossas digitais não podem ser apagadas das vidas que tocamos - e olha que antes de você eu sempre achei isso uma grande baboseira poética - e as suas estão visivelmente em mim, e eu não sei o que fazer com elas. Porque você conseguiu o que mais ninguém conseguiu, então eu me pergunto, pra quê se isso não era pra ser?
Pode até ser que outra pessoa te tenha agora dividindo sorvetes, seus abraços e os domingos. Mas eu tenho você no meu estomago e coração e veias e artérias e sonhos e líquidos e células. E assim em alguma parte de mim algo seu sempre será profundamente meu. Algo que eu não vou e nem quero deixar ir. Havia um tempo em que realmente nos importavámos, quando o amor estava ao nosso lado, você consegue se lembrar? Dos planos e das coisas que dissemos, de quando eu sabia que podia contar com você seja lá qual direção tomasse. Mas nós perdemos a nossa chance. Eu amo muito você. Nunca se esqueça disso. 

sexta-feira, 27 de abril de 2012

terça-feira, 24 de abril de 2012

[...] Isso seria o nosso fim. E foi. Agora, o que mais posso fazer? O amor quebrou todas as minhas bússolas e eu já não sei mais pra onde devo ir, mas sei que ainda preciso partir. Então me responde, uma vez você me disse que o amor superava tudo, isso era sério? Porque eu consigo superar muita coisa, menos o fato de que você sempre estará do outro lado do mundo para mim.

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Desde o dia em que você não está tenho escrito longos textos carregados de sentimento para alguém que nunca os lerá. Dedico grande parte dos meus pensamentos a quem já não pensa mais em mim. Sinto insônia, angústia, medo e dores que ultrapassam a linearidade da alma. O corpo dói, a cabeça pesa e o peito aperta. Trago os olhos rasos d'agua que sempre me impedem de enxergar além. Carrego o peso do mundo em minhas costas. E suporto tudo porque ainda tenho tolos subterfúgios.

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Si dejaras entrar un rayo de luz
Y sintieras tan solo una vez
Lo que yo siento sabrías que
Mi canto no es más que un mal intento
De alejarte un instante de mi pensamiento

-Jorge Drexler; Mal Intento

domingo, 15 de abril de 2012

Gosto de grandes precipícios, de olhar as coisas lá do alto. Da sensação de quando a gente descobre que no meio da imensidão somos apenas um grãozinho de areia se esfalecendo a cada segundo e sendo levado pelo vento. De como faz sentido não significar muito para alguém que está a milhas e milhas de distancia. De como nossa angústia de repente torna-se minúscula diante de qualquer força superior existente. E aqui, olhando de cima, eu descobri que definitivamente não sou aquela menina incrível que eu realmente pensei que era. Se eu realmente a fosse, teria tido o seu melhor, e agora, só agora não estaria tão despedaçada.

domingo, 4 de março de 2012

E é tão difícil de ver. Eu pensei que quando chegasse a hora eu saberia entender, mas eu não sei lhe dar com isso. Não ainda. Dói tanto sabe. É querer gritar sabendo que precisa segurar a voz. É querer chorar, mas ter que sorrir. Eu queria não ser tão egoísta assim, eu gostaria de ser madura o suficiente pra estar feliz. Eu sei que eu deveria estar, mas então porque que eu não consigo?! É, definitivamente eu não sou um espírito evoluído. Vergonha de mim.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

É como se você perdesse um abraço ou uma perna e tivesse aprendido a viver sem. E uma hora alguma dificuldade, ou até mesmo um gesto mais simples, vai te lembrar que falta um pedaço.

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Iaiá, eu li num soneto de amor que as lágrimas que tu não chora, Iaiá, se escondem num rio dentro de tu ♫

domingo, 5 de fevereiro de 2012

sábado, 4 de fevereiro de 2012

É estranho ter que apagar isso da minha vida. É estranho ter pensar que nada disso existiu de verdade. É estranho de repente não significar mais nada. É estranho sentir tanto assim quando o olhar, o cheiro e o timbre do sorriso ainda são imaginários. É estranho ter que fingir não se importar quando  na verdade lágrimas caem involutariamente dos olhos e o peito aperta. É estranho.

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Não, ninguém no mundo pode ter noção do misto de sentimentos que se passa aqui agora. E eu odeio muito quando não consigo descrever o que eu tô sentindo e o porque que eu tô assim, mas eu sei que dói bastante e eu não sei o que fazer pra isso passar. É uma mistura de angústia, pressa em ser livre, egoísmo, orgulho, saudades, medo do futuro, mágoa, dor. E eu respiro tentando encher os pulmões de alguma luz que me guie, mas ainda assim dói bastante. Nossa, é como se alguém estivesse arrancando um pedaço de mim a dentadas e eu não pudesse fazer nada pra isso passar. É um sabor amargo e corrosivo do qual já havia esquecido.

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Sempre fui do tipo que dá importância a coisas pequenas, coisas que talvez não façam muito sentido pra outras pessoas. E sempre sofri muito com tudo isso. Tenho certeza que não sou daqui, e por favor, não tente me convencer do contrário se eu sei que meus sonhos são absurdos aos olhos do mundo. E sempre que tentei compartilhar meu infinito particular, alguém sempre o limitava, deixando-o pequeno demais para a imensidão dele aqui dentro. Foi então que decidi escrever. Escrever para alguém que nunca vai ler essas coisas que ficarão empoeiradas, esquecidas. Perda de tempo? Talvez. Porque talvez as coisas que escrevo aqui nem sejam tão inúteis assim, talvez exista até quem goste delas. Então me sentirei útil de alguma forma. Eu não sei cobrar, eu não sei implorar, eu não sei pedir, eu não sei me explicar pra ninguém, então eu escrevo. Escrever: uma maneira de se eternizar e eternizar tudo aquilo que que não pode ficar.

sábado, 28 de janeiro de 2012

Se não puder mais voltar, mande notícias, eu as esperarei como quem aguarda uma manhã de sol depois de intermináveis dias de chuva. Dizem que enquanto o tempo náufraga ele leva tudo embora. Mas eu não quero que você vá.

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

  Sabe, se estou triste agora, é porque algo tá errado. Não me pergunte o porque, mas foi você quem plantou esse sentimento em mim. E por mais que eu erga a cabeça e finja que estou intacta, por mais que eu tente ser dura com tudo isso, por mais que meu sorriso pintado me distraia, eu sei que algo aqui dentro tá doendo e eu não sei o que fazer pra passar, porque eu acho que guardei sonhos em você. Porque todo esse tempo você desenhou sorrisos nas minhas palavras e guardou futuros abraços na minha mente. Mas agora eu levanto, tropeço, reflito e percebo que estou dando voltas em torno de mim mesma, tropeçando em razões que são poucas e distantes, tentando encontrar um motivo pro meu imperdoável erro de ter esquecido que entre o nosso futuro e o nosso presente existe uma vida repleta de caixinhas de surpresas.
  Você realmente achou que eu nunca poderia me dar conta da existência das tantas outras vidas entre nossas vidas, ou que eu não saberia que isso uma hora iria acontecer, mas eu queria que você soubesse que antes que eu visse, eu pude perceber e sentir tudo e saber de cor até aquilo que você ainda nem pensou. Pude sentir você distante, pude sentir você desnecessariamente me machucando aos pouquinhos, como quem despedaça uma flor. E te olho mesmo sem poder te ver, mas não vou te chamar, porque eu acho que já me machuquei o bastante. Não, eu não tô confundindo as coisas, tem algo errado sim, porque eu tô falando de lealdade e não do que possa parecer. Quanto ao sentimento que inevitavelmente cresceu aqui dentro e que um dia conversamos sobre em uma das tantas nossas conversas mágicas, acredite, eu repetia pra mim os riscos de tudo todos os dias, mas é que por vezes esquecia. Eu não queria me magoar com você, não queria.
Quantas vezes eu quis fazer tudo certo e pequei por falar demais. Sem saber onde, como, nem quando, todo esse tempo agora não parece tanto... Sabe, no fundo só eu sei como me custa deixar tudo isso pra trás, é como abrir mão de um sonho. Agora eu vou seguir em frente, como se você nunca tivesse entrado na minha vida e bagunçado tudo aqui dentro, fingindo não ter sido nada, exatamente assim como você está fazendo.

'Nada se compara, não se preocupe ou se importe, arrependimentos e erros são produzidos pelas lembranças. Quem poderia adivinhar o gosto agridoce que isso teria?'

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

[...]
-quem é esse menino pra quem você escreve coisas tão bonitas?
-como vc sabe?
-tenho lido seu blog... e confesso, estou viciado nele. você escreve muito bem
-brigada. mesmo. É sempre legal quando alguém legal gosta das coisas q a gnt escreve
-mas não vai me dizer quem é? ou ele é imaginário? rs
-imaginário? mas porque seria?
-ah sei lá, vc fala tanto em universo paralelo, em uma falta daquilo que você ainda não conhece e que lhe machuca... ele realmente existe?
-existe, claro.
-ele sabe que você escreve essas coisas?
-acho q sabe, não sei. Eu nunca mostrei pra ele, sabe, então é complicado...
-você deveria mostrar o quão bonito é o que você sente
-não sei se seria legal, ele provavemente iria me ignorar
-ignorar?? meu deus! mas pq ele faria tanha bobagem??
-não sei. Eu tenho medo de perdê-lo. Ele é muito importante pra mim.
-e porque não tentar?
-mais uma vez, é complicado.
-você o ama?
-acho que sim.
-você é uma menina incrível, sabia?
-sou nada, eu sou uma boba isso sim
-mas porque?
-talvez eu espere demais, talvez eu sonhe demais coisas que nunca irão contecer. talvez eu devesse sonhar com a realidade não com o impossível
-ysa, sonhos têm esse nome porque são difícies. Pessoas estão acostumadas com tudo aquilo que é fácil e os sonhos se vão. Mas as melhores coisas são aquelas mais difícies, acredite.